Miguel Falabella ganha convite de Faustão 20 dias após sair da Globo

Escrito por em 29/06/2020

Miguel Falabella teve a promessa de que voltará a Globo em 2021, mesmo que não tenha mais contrato fixo com a emissora depois de 29 anos. O multifacetado autor ouviu a garantia de Fausto Silva ao participar neste domingo (28) do Domingão do Faustão. O apresentador prometeu que o colega estará na próxima temporada do Show dos Famosos, prevista para ir ao ar no ano que vem.

Enquanto conversava com Miguel por videoconferência, já que o artista está confinado, Faustão deu a notícia. “Vamos falar um pouco do Show dos Famosos que volta o ano que vem com Miguel, Cláudia e Boninho”, anunciou. A confirmação chamou a atenção porque aconteceu 20 dias depois da Globo anunciar que o contrato de Falabella não será renovado e ele não terá mais vínculo com o canal.

E se Faustão fez o convite, o ator e roteirista não se omitiu de deixar claro que quer continuar no time de jurados da competição.”Quero te agradecer sempre por fazer parte deste quadro. Porque nas três edições que participei e espero participar outras vezes mais e é muita alegria ver tudo isso ao vivo. Ser jurado deste programa é uma aprendizado todo domingo”, afirmou Miguel ouvindo novamente de Faustão. “Com toda a certeza”.

Além de relembrar momentos icônicos do Show dos Famosos, Falabella também falou sobre o momento de quarentena e garantiu que está trabalhando muito. “Eu fiquei duas semanas sem foco, aí eu percebi que as coisas iria se estender e que eu precisaria ter foco. Aí eu comecei a escrever com muita disciplina e estou trabalhando. Vou sair do confinamento com muita coisa escrita”, contou sem dizer, no entanto, para qual plataforma irão os textos.

Miguel Falabella deixa a Globo

Contratado da emissora desde 1981, Miguel Falabella recebeu a notícia de que não continuará na Globo após o vencimento. A informação foi confirmada pelo canal e aconteceu meses depois ter sido noticiado pelo NaTelinha uma briga entre ele o diretor de dramaturgia Silvio de Abreu.

“Foram quase 40 anos, toda uma vida. Mas é vida que segue”, declarou o roteirista no dia do anúncio de sua saída. Procurada pelo NaTelinha, a assessoria de comunicação da Globo havia enviado nota sobre o tema: “Como todos sabem, nos últimos anos, temos tomado uma série de iniciativas para preparar a empresa para os desafios do futuro. Com isso, temos evoluído nos nossos modelos de gestão, de criação, de produção, de desenvolvimento de negócios e também de gestão de talentos. Assim, em sintonia com as transformações pelas quais passa nosso mercado, a Globo vem adotando novas dinâmicas de parceria com seus talentos. Miguel Falabella, assim como outros companheiros, tem abertas as portas da empresa para futuros projetos em nossas múltiplas plataformas”.

Em julho do ano passado, Silvio de Abreu barrou a sinopse de novela que Miguel apresentou ao Fórum de Dramaturgia e chegou a avisar que não tinha a intenção de aprovar uma nova temporada de Eu, a Vó e a Boi (2019), o que se confirmou meses depois.

Na época, a notícia pegou todos de surpresa, uma vez que a primeira leva de episódios ainda estava em processo de gravação.  Isso foi contra a ideia de Miguel, que pretendia escrever várias temporadas da história que é baseada numa thread do Twitter.

Fontes próximas à dramaturgia da Globo acreditam que a decisão ocorreu porque  a série não ter sido aprovada por Silvio de Abreu, mas por Glória Perez, e que ele quer ter, inclusive no Globoplay, apenas produções que passaram por seu crivo. Como a experiente novelista não está mais à frente na gestão de novos projetos na área, tudo que foi aprovado por ela foi sendo reavaliado.

O caldo entornou de vez no começo de julho de 2019, quando o dramaturgo e ator apresentou uma sinopse para as 19h. A história acabou sendo reprovada pelo diretor, o que levou a um forte estramento entre os dois durante uma reunião na alta cúpula da emissora.

Na ocasião, a Comunicação da Globo disse que não houve nenhuma discussão entre Silvio de Abreu e Miguel Falabella e que a informação não procedia. O roteirista também negou a briga e ironizou. “Adoro o Silvio de Abreu, tenho a maior admiração, nunca briguei com ele na minha vida. É falta do que fazer, falta de uma faxina, de uma cozinha para lavar, uma roupa, um tanque e um salário melhor, obviamente”, comentou.

Retirado de Na Telinha

Reportagem: Daniel César

Imagem: Reprodução


Opiniões dos leitores

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados com *



[Não há estações de rádio no banco de dados]